FACULDADE DE ECONOMIA E GESTÃO ORGANIZA EVENTO SOBRE “IMPACTO DA FLUTUAÇÃO CAMBIAL NA ECONOMIA ANGOLANA”

A Faculdade de Economia e Gestão (FEG) da Universidade Católica de Angola realizou, no dia 10 de abril, no Salão Nobre, do Palanca, palestras sobre “O Impacto da Flutuação Cambial na Economia Angolana”, moderadas pelo Dr. Manuel Bamba, professor da FEG.

A intervenções incidiram sobre dados quantitativos referentes ao período de 2017 – 2020, em que os palestrantes procuraram analisar o impacto das variações cambiais na balança comercial e no nível das reservas líquidas internacionais.

Edmilson Domingos, gestor financeiro, licenciado pela FEG, explicou a relação entre a taxa de câmbio, balança comercial e as reservas internacionais líquidas, especialmente através da importação de bens e a quebra de produção interna de bens ou produtos. O profissional e alumni da FEG explicou a diferença entre o regime cambial fixo e o regime cambial flexível, para esclarecer que o Banco Nacional já não determina o preço das moedas estrangeiras em Angola, e sim o mercado. Segundo o Dr. Edmilson Domingos é importante existirem medidas que ajudem a promover a valorização da moeda nacional e não a sua depreciação ou desvalorização, o que poderá facilitar que a economia angolana seja mais atractiva.

A Dra. Márcia Cardoso, gestora financeira, focou a sua intervenção nas “Estratégias usadas por economias emergentes”. Tomando a China como exemplo, falou sobre as políticas de valorização da sua moeda, mão-de-obra barata, alto nível de industrialização e políticas de investimento directo, como factores que contribuem para atrair investimento estrangeiro na China.

Nunes Muaka, técnico de contabilidade bancária, falou especialmente da volatilidade e o risco de investir em Angola, tendo em conta a flutuação cambial e o preço do petróleo, que resultou em menos divisas para Angola, com impacto significativo nos processos de tomada de decisão política.

Inácio Essita encerrou as intervenções problematizando a questão da desvalorização da moeda como um factor positivo, especialmente para a valorização de activos financeiros na banca nacional.

Professores e estudantes participaram do evento, em que tiveram a oportunidade de apresentar as suas questões. Todos os prelectores foram estudantes da FEG.

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 570 visitantes e sem membros em linha