Vida Académica

Alves da Rocha revela: Huambo e Huila não estão entre as 5 melhores províncias de Angola.

         

          Luanda, Benguela, Kuanza-sul, Malange e Namibe são as províncias com os maiores índices de produtividade e com o PIB / capita mais elevado entre as 18, estes dados são revelados pelo Professor Alves da Rocha, economista renomado e Director do Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola no seu livro “ Desigualdades e Assimetrias Regionais em Angola”, lançado neste mês de Outubro.

          O também pesquisador revela ainda na sua obra que Huambo e Huila, ao contrário do que se pensa, não fazem parte do “Top-Five” das melhores províncias, uma vez que apresentaram um rendimento médio inferior a 400 dólares em 2007, taxas de desemprego muito altas e baixa produtividade no sector do trabalho.

          Conforme o autor escreve na conclusão do seu trabalho, “o estudo detectou uma série de incongruências regionais/provinciais no país e,  revela que existem zonas completamente afastadas dos benefícios do desenvolvimento e da atenção dos agentes públicos e privados”.

          Do ponto de vista positivo, escreve Alves da Rocha, a província do Kuanza-Sul é uma verdadeira surpresa, não apenas em termos absolutos, dados pelos valores dos indicadores de caracterização usados mas, especialmente em termos comparativos, sendo a terceira melhor província do país.

    
    

          Diante da visível litoralização da economia, Director do Centro de Estudos e Investigação Cientifica da UCAN sugere ao “Estado que defina políticas de clara matriz discriminatória para com as mais afectadas por esta espécie de doença holandesa que conduz ao seu definhamento em favor de outras e de assumir um papel voluntarista, criando incentivos a localização de actividades que pela sua natureza estruturante são potencialmente criadoras de externalidades positivas que atraiam investimento privado e limitem o êxodo da mão-de-obra mais especializada”.


          O livro está à disposição do público e pode ser comprado na Universidade Católica de Angola por 2 mil kwanzas.

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 204 visitantes e sem membros em linha