Saudação do Magnífico Reitor

DISCURSO  Nº01/GR/2014 [i]

 

(...) Quis Deus e o destino que estivéssemos juntos, neste dia, para celebrarmos este grande e memorável acontecimento, rotineiro para uns, mas único e impacientemente esperado para outros - a tomada de posse da nova Equipa Reitoral da Universidade Católica de Angola – UCAN.

Permitam-nos, estimados estudantes, respeitáveis professores, benquistos funcionários da UCAN a vários níveis e ilustres convidados, chamar, antes de mais, a vossa atenção para o significado desta palavra Universidade Católica. Talvez seja supérfluo para os mais antigos e experimentados nesta casa que, por variadíssimas ocasiões, dissertaram ou acompanharam dissertações em torno deste conceito.

Contudo, a minha fé na tradicional afirmação segundo a qual, a repetição é a mãe da ciência e a convicção de que muitos dos presentes, sobretudo aqueles que, pela primeira vez, ingressam nesta Universidade, precisam de compreender o que é a UCAN para o seu melhor enquadramento, consolida o meu propósito de aprofundar convosco alguns aspectos inerentes à natureza duma Universidade Católica.

Trata-se, fundamentalmente, do seu significado ou identidade, da sua vocação ou missão e dos seus desafios no contexto nacional e internacional.

Na verdade, não é possível falarmos da UCAN de maneira objectiva sem que se nos coloque a questão da sua identidade, missão, desafios, metas para o futuro e linhas estratégicas para a materialização dos objetivos a que ela se propõe enquanto projeto social. São estes, em meu entender, os principais eixos sobre os quais devemos unir sinergias para uma integração consciente e responsável de cada um de nós na UCAN.

Sobre a identidade da Universidade Católica, nada melhor do que a definição do Sumo Pontífice João Paulo II, plasmada na Constituição Apostólica “Ex Corde Ecclesiae”, cujo teor é: “Uma Universidade Católica é uma comunidade académica que, de modo rigoroso e crítico, contribui para a defesa e desenvolvimento da dignidade humana e para a herança cultural mediante a investigação, o ensino e os diversos serviços prestados às comunidades locais, nacionais e internacionais. (C.A.E.C.E.nº12, apud. Relatório199-2004: p.9)

Importa, contudo sublinhar que tudo isso acontece dentro de um espírito e de uma doutrina própria da Igreja Católica, tal como vem retratado no extracto do documento já referenciado que diz: “numa Universidade Católica, os ideais, as atitudes e os princípios católicos impregnam e modelam as atividades universitárias de acordo com a natureza e autonomia próprias de tais atividades”. Estamos, sem dúvida, perante as premissas universais que norteiam e devem nortear os “modus vivendi e procedendi” de qualquer Universidade Católica.

(…) Todavia, precisamos de vigiar para não nos instalarmos na glória do passado, pois, se aqueles que conceberam, iniciaram e desenvolveram este projecto conseguiram, durante quinze anos, fazer da UCAN a instituição de prestígio que é hoje, nós, como anãos sobre os ombros dos gigantes ora evocados, temos a obrigação de fazer mais e melhor para que esta marca UCAN prospere e excele cada vez mais na qualidade e quantidade, em todas as frentes em que estiver engajada. Cada um de nós é chamado a dar o melhor de si para que o prestígio granjeado pela UCAN conheça o seu momento auge connosco.

Mas, para que tudo isto não seja apenas uma utopia, precisamos de agir de forma metódica, sistemática, organizada e coordenada e selectiva. Por, isso, partindo do nosso plano estratégico, quero propor-vos para este quinquénio 2014 – 2019, apenas quatro prioridades cujas condições para a sua materialização estão e continuarão a ser criadas ao longo deste meu e vosso mandato:

  • 1ª prioridade: Manter e promover a inspiração e a reflexão cristã à luz da fé católica, tanto nos indivíduos singulares, bem como em toda a comunidade universitária da UCAN;
  • 2ª prioridade: Reforçar a investigação e a projecção social da Universidade tanto a nível nacional como a nível internacional;
  • 3ª prioridade: Melhorar a oferta formativa e a qualidade da formação intelectual, humana, ética e técnico-profissional dos estudantes;
  •  4ª prioridade: Melhorar a organização e o modelo de gestão do capital humano e recursos financeiros para garantir a satisfação e, consequentemente, a eficácia no seu desempenho. 
  •  

Bem-haja o novo Reitor; Bem-haja os Vice Reitores e o Secretário-geral;

Bem-haja a comunidade ucaniana, a Igreja Católica e a sociedade angolana.

Que o Senhor nos abençoe.

Luanda, aos 07 de Março de 2014.



[i]  O presente texto corresponde as partes inicial e final do discurso inaugural do Magnífico Reitor Pe. Doutor. José Vicente Cacuchi na tomada de posse de toda a Equipa Reitoral no dia 7 de Março de 2014.

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 189 visitantes e sem membros em linha