VICE-REITOR PARA A INVESTIGAÇÃO E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIAS RECEBE CONSUL DA COREIA DO SUL

O Vice-Reitor para a Investigação e Extensão Universitária, Padre Doutor Jerónimo Cahinga, recebeu na última semana de Abril, o Cônsul da Embaixada da Coreia do Sul, Yung Hee Kwak.

O encontro aconteceu na sala de reuniões da reitoria, com objectivo de o governo coreano retomar o diálogo para a cooperação entre as duas instituições, bem como, convidar a UCAN a fazer parte do projecto “Korea Corner”, que consiste em criar, na biblioteca, um canto com literatura diversa de autores sul-coreanos, numa tentativa deste governo asiático divulgar mais e melhor a sua literatura.

Depois do encontro, os dois responsáveis visitaram a Biblioteca da Universidade e agendaram para breve uma próxima reunião.

FACULDADE DE ENGENHARIA AGRACIADA COM EQUIPAMENTO DE LABORATÓRIO DE PETRÓLEO PELA CHEVRON

 A Faculdade de Engenharia recebeu, em Abril, das mãos da petrolífera Chevron, uma doação em equipamentos para laboratório de caracterização de rochas e de fluídos em petróleos.

O acto de entrega aconteceu, esta manhã, na sala de reuniões da reitoria, onde estiveram a Vice-Reitora para Área Académica, Dra. Maria Helena Miguel, o Decano da Faculdade de Engenharia, Eng.º Tommaso Depippo, a Directora dos Recursos Humanos da Chevron, Eng.ª Henda Valério, o Supervisor de Gestão de Expatriados, Filipe Bartolomeu e a representante da área de comunicação da Chevron, Vanessa Pita Gróz.

À Faculdade de Engenharia foi doado medidor de volume geométrico, parosimetro, permeâmetro relativo, sistemas espontâneos de inibição e sistemas espontâneos de drenagem.

Com esta doação, a Faculdade de Engenharia reduz a lista de tarefas, para a completa montagem do laboratório que servirá para ministração de aulas práticas e alguns cursos de curta duração.

PRIMEIRO CANDIDATO A DEFENDER DISSERTAÇÃO NO MESTRADO CIENTÍFICO DE ECONOMIA DISCUTE “CRESCIMENTO ECONÓMICO E DESIGUALDADE EM ANGOLA”

António Muembanza foi o primeiro mestrando a defender publicamente a sua dissertação no programa de Mestrado Científico da Faculdade de Economia e Gestão. A sua dissertação tem como título “Economic Growth and Income Inequality in Angola (2004 – 2014)” e conta com a supervisão do Prof. Kjetil Bjorvatn, docente da Escola Norueguesa de Negócios (NHH).

 

A sessão decorreu, recentemente, num ambiente de aceso debate com o candidato em torno de questões centrais da economia angolana como desigualdade, pobreza e crescimento económico. Integraram os membros do júri os Professores Caetano João, como Presidente, Alves da Rocha, Marco Paulo, Heitor de Carvalho e Kjetil Bjorvatn, como vogais.

 

O mestrado científico em Economia dos Recursos Energéticos e Economia do Desenvolvimento é um programa de pós-graduação, iniciado em 2015, com o objectivo de capacitar estudantes a pensarem de forma crítica sobre os problemas do desenvolvimento económico e da gestão dos recursos energéticos e prepará-los para uma vida profissional competente, ética e humanista.

António Muembanza faz parte do grupo da 1.ª edição.

FACULDADE DE ECONOMIA E GESTÃO PROMOVE AULA-PALESTRA SOBRE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM ANGOLA

A Faculdade de Economia da Universidade Católica de Angola realizou recentemente, uma palestra sobre “Gestão de Recursos Hídricos em Angola: Bacias Hidrográficas Transfronteiriças – o caso do Cubango-Okavango”. A actividade que contou com a presença da Vice-Decana da Faculdade de Economia, Dra. Vissolela Gomes, faz parte de um ciclo de palestras com técnicos e especialistas em recursos naturais no âmbito da disciplina de economia dos recursos naturais e ambiente, do 4º ano de economia.

O orador foi o Dr. Carlos Manuel Nobre de Andrade, funcionário no Gabinete para Administração das Bacias Hidrográficas do Cubango, Cunene e Cuvalei (GABHIC), do Ministério de Energia e Águas.

Na sua nota introdutória, além de falar da diferença entre bacias hidrográficas e bacias de retenção de água, o convidado mostrou aos estudantes como estão distribuídas as bacias hidrográficas ao nível do país, ressaltando que a gestão das mesmas não pode depender da gestão político administrativa, tendo em conta as províncias e municípios, mas deve ser feita tendo em conta a própria bacia hidrográfica que muitas vezes é partilhada por mais de uma província ou país.

Além de estudantes, participaram da palestra docentes e técnicos Gabinete para Administração das Bacias Hidrográficas do Cubango, Cunene e Cuvalei (GABHIC).

 

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 215 visitantes e sem membros em linha