FCH-UCAN PROMOVE WEBINAR SOBRE “FACTORES DE INSUCESSO ESCOLAR E PERFIS DE ENTRADA E SAÍDA NO ENSINO SUPERIOR”

A Faculdade de Ciências Humanas (FCH) da UCAN promoveu no dia 31 de Agosto, o webinar sobre “Factores de Insucesso Escolar” e “Reflexão sobre os Perfis de Entrada e Saída no Ensino Superior”. O evento decorreu no final da tarde do referido dia e  contou com a presidência e abertura da Decana da FCH, Dra. Ana Bela Loureiro.

O Padre Doutor Samuel Tumbula, docente da Faculdade de Ciências Humanas da UCAN, foi o orador de “Factores de Insucesso Escolar” e o Dr. Araújo dos Anjos apresentou os “Perfis de Entrada e Saída no Ensino Superior”, ambos foram moderados pelo professor de Língua Portuguesa da referida Faculdade, Dr. Conceição Neto.

Durante a sua apresentação, o Padre Doutor Samuel Tumbula afirmou que, uma boa parte dos estudantes matriculados no primeiro ano do ensino superior leva dez anos a concluir a licenciatura e outra nem chega a concluir, tendo como desfecho o abandono escolar. De acordo a pesquisa do professor da FCH, o insucesso escolar para o académico deve ser visto na perspectiva do professor, do aluno e da instituição. Na perspectiva do docente apontou como factores de insucesso: o distanciamento na relação professor aluno, a inflexibilidade curricular, a falta de estratégia de ensino e a própria avaliação somática; na perspectiva do estudante, entre outros factores, descreve:  a falta de bases, o baixo envolvimento do próprio estudante, as dificuldades socioeconómicas, bem como a euforia inicial combinado com o medo de falhar; da parte das  instituições de ensino, entre outros factores, apontou: a liderança distanciada, a falta de explicação da importância de cada unidade curricular para o curso, o regime de precedência bem como a própria língua de ensino.

Por sua vez, o Dr. Araújo dos Anjos, Docente da ISCED fez uma “Reflexão sobre os Perfis de Entrada e Saída no Ensino Superior”. Para que o debate sobre a qualidade de ensino seja frutífero, o Dr. Araújo defende a necessidade de uma infraestruturação do sistema de ensino quer a nível do subsistema geral, quer a nível do subsistema de especialidade que é o ensino superior. A infraestruturação do sistema de ensino passa pela programação, configuração e organização do ensino, assim como pela programação sociopolítica.

Para o também investigador, olhar para a infraestruturação é olhar, igualmente, para o mapeamento das instituições, ver de que formas elas estão estruturadas, como estão distribuídas, em que condições é que elas operam, os professores como é que estão enquadrados, estão de facto nas suas áreas de formação, como eles são avaliados, em fim, um conjunto de factores que devem ser repensados quando se pretende reflectir sobre a qualidade de ensino no nosso país.  O evento terminou com o momento de perguntas e respostas, em que os participantes tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas, contribuir e sugerir.

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 260 visitantes e sem membros em linha