DEPARTAMENTO DE PETRÓLEOS DA UCAN GANHA NOVOS LABORATÓRIOS

O Departamento de Petróleos da Faculdade de Engenharia da UCAN inaugurou na manhã de quarta-feira, 13 de Junho, 3 laboratórios de engenharia de petróleos, que poderão aumentar a qualificação na formação dos estudantes do curso.

Depois do discurso de abertura, o Vice-Reitor para Investigação e Extensão Universitária, Padre Jerónimo Cahinga fez o descerramento da placa e a Vice-Reitora para Área Académica, Dra. Maria Helena Miguel, procedeu ao corte da fita.

Na cerimónia estiveram representantes das empresas financiadoras do projecto, designadamente, a Chevron, Schlumberger, ENI e SAIPEM, funcionários da UCAN, Docentes e estudantes.

Na ocasião, o Vice-Reitor para Investigação e Extensão Universitária, Padre Jerónimo Cahinga, afirmou que a existência dos laboratórios é um complemento fundamental no processo de ensino-aprendizagem na medida em que poderá possibilitar ajustar a teoria que os estudantes têm tido na sala de aula à prática.

O Departamento tem agora um laboratório de Lamas de Perfuração e Completação de Poço, um de Caracterização de Rochas e Fluidos e outro de Modelação e Simulação de Reservatórios. Este último está orçado em três milhões de dólares (3. 000. 000,00 usd) e os dois primeiros em aproximadamente, duzentos mil euros (200. 000, 00 EUR), segundo atesta o Decano da Faculdade de Engenharia, Engenheiro Tommaso De Pippo.

O Director dos Recursos Humanos da Chevron, patrocinadora do segundo laboratório, Dr. Henda Valério, referiu que o laboratório em questão é fruto de um memorando assinado há um ano, razão pela qual, faz um pedido especial aos estudantes como principais usuários do mesmo, a tirarem melhor proveito para que num futuro próximo sejam eles os instrutores de outros estudantes.

João Manuel, estudante do 4º ano de petróleos, acha que os referidos laboratórios representam um avanço, não só, para a Faculdade e os seus formandos, mas para as empresas petrolíferas porque poderão reduzir os custos de formação no momento da contratação dos recém-formados. 

 

ESTUDANTE DE DIREITO VENCE CONCURSO CIMEIRA SIMULADA SOBRE O FUTURO DA RELAÇÕES ENTRE PAÍSES AFRICANOS E DA UNIÃO EUROPEIA PÓS ACORDO DE COTONOU

O Estudante da Faculdade de Direito da UCAN, Osvaldo Calupeteca arrebatou o primeiro lugar do concurso “Cimeira Simulada sobre o Futuro das Relações entre Países Africanos e Países da União Europeia Pós Acordo de Cotonou”. A actividade de fórum académico, promovida pela Delegação da União Europeia em Angola, decorreu na última quarta-feira, 13 de Junho, no salão nobre do Ministério das Relações Exteriores.

Além de outros três estudantes da universidade, concorriam para a primeira classificação do prémio de um estágio de seis meses na Delegação da União Europeia em Angola, estudantes de relações internacionais da Universidade Lusíadas, que conquistou o segundo lugar e do Instituto Superior de Relações Internacionais Venâncio de Moura, que conquistou o terceiro.

Faziam parte do corpo de jurado, o Director do Gabinete Estratégico de Angola, General Correia de Barros, o Director do Gabinete Europeu para as Relações Exteriores, Representante da Embaixada Alemã, da embaixada Portuguesa e a Jornalista Luísa Rogério.

Na foto, o vencedor está à esquerda do Embaixador da União Europeia em Angola, Tomás Ulicný.

PROFESSOR E ESTUDANTE DA UCAN GALARDOADOS COM PRÉMIO PALANCA NEGRA

A Universidade Católica de Angola foi galardoada com Prémio Palanca Negra nas categorias de melhor figura e melhor estudante da UCAN, do ano de 2017. A gala de premiação da 6ª edição do Prémio Palanca Gigante aconteceu na noite do dia 18 de Maio, no Palácio de Ferro.

A categoria Melhor Figura do ano foi atribuída ao professor da UCAN, Dr. José Manuel Alves da Rocha como Melhor Professor Universitário e a de Melhor Estudante da UCAN, à Jovem de 21 anos de idade, Chelsea Maneza Ferreira Pereira, do 5º ano do curso de Psicologia Clínica na Faculdade de Ciências Humanas.

De acordo com Mauro Ananias, mentor e coordenador do referido Projecto, aos candidatos destas categorias foram avaliados critérios como, para melhor figura do ano, a qualidade das intervenções, relevância do trabalho da figura e a sua tenacidade; para melhor estudante, a nota, o seu envolvimento nas actividades associativas e a conduta dentro e fora da universidade. Os candidatos foram votados por estudantes universitários.

 

 

6ª EDIÇÃO DO TRIBUNAL SIMULADO DA UCAN HOMENAGEIA DR. FRANÇA VAN-DÚNEM E DR. MARCOLINO MOCO

A Comissão do Tribunal Simulado da Universidade Católica de Angola realizou de 04 – 08 de Junho, a 6ª edição do Tribunal Simulado Interno, um evento que aborda questões de Direitos Humanos, dirigido à estudantes do curso de Direito no 3º e 4º ano. No evento, foram homenageadas duas ilustres figuras, nomeadamente; Dr. França Van-Dúnem e o Dr. Marcolino Moco, pelo seu contributo académico para a compreensão dos mecanismos internacionais de protecção dos Direitos Humanos.

O acto de abertura foi presidido pela Vice-reitora para Área Académica da UCAN, Dra. Maria Helena Miguel, que acompanhou afincadamente as sessões.

A corte, este ano, esteve composta por vários juristas e juízes de reconhecido mérito no mercado nacional que representavam instituições como a Procuradoria Geral da República, a Ordem dos Advogados, entre outras.

Foram vencedores da última eliminatória, os estudantes Pedro Monteiro, do 4º ano, que conquistou o primeiro lugar, Eliseu, que conquistou o segundo e Sabino Jacinto, o terceiro, estes últimos, estudantes do terceiro ano, de Direito.

Neste dia, além dos testemunhos dos vencedores dos anos anteriores, houve também o momento de entrega de Certificados de homenagem aos Dr. Marcolino Moco e o Dr. França Van-Dúnem, que esteve representado, na cerimónia, pelo Dr. Amílcar Quintas. Como “Se Maomé não vai à montanha, vai a montanha a Maomé”, na manhã de segunda-feira, 11 de Junho, vários estudantes do referido professor juntaram-se à COTSUCAN e levaram o certificado ao Professor França em plena sala de aula.

O acto emocionou o homenageado que derramou lágrimas ao lembrar das suas conquistas, tendo mesmo referido que sendo filho de um funcionário público comum e de uma vendedora no mercado do São-Paulo, “Independentemente do que acontecer, nunca deixarei as minhas obrigações para com o país, por isso, vos digo estudem e dão o vosso melhor para a nação que tanto vos precisa”, referiu.

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 251 visitantes e sem membros em linha