Equipa reitoral da UCAN encontra-se com Ministro do Ensino Superior

O Ministro do Ensino Superior, Dr. Adão do Nascimento, convocou a equipa reitoral da Universidade Católica de Angola para um encontro, que se realizou nesta segunda-feira, 24 de Agosto de 15, numa das salas de reuniões do INARES - Instituto Nacional de Avaliação, Acreditação e Reconhecimento de Estudos do Ensino Superior.

No encontro estiveram presentes o Ministro do Ensino Superior e algum do seu pessoal técnico, o Magnífico Reitor, Pe. Doutor José Vicente Cacuchi, a Vice-Reitora para Área Académica, Dra. Maria Helena Miguel, o Vice-Reitor para a Investigação e Extensão Universitárias, Pe. Doutor Jerónimo Cahinga, o Secretário-Geral, Doutor Laurindo Miji Viagem e o Secretário Executivo, Dr. Nlandu Matondo.

Sobre a mesa estiveram dois temas, o primeiro teve que ver com a solicitação de direito de resposta da UCAN ao Jornal de Angola, e o segundo, com a solicitação de homologação dos titulares de cargos de direcção da UCAN.

O Ministro do Ensino Superior, Dr. Adão do Nascimento, recordou que a UCAN precisa de enviar uma proposta de homologação dos titulares de cargos directivos. Em resposta, o Magnífico Reitor considerou não haver inconveniente, mas lembrou que a medida deve ser extensiva a todas Instituições do Ensino Superior. O Ministro do Ensino Superior,  por sua vez, confirmou que a medida é extensiva a todas as Instituições de Ensino Superior e recordou que a UCAN é das que mais tem pautado pelo cumprimento rigoroso das regras ministeriais.

Quanto a notícia sobre a legalidade dos cursos divulgada pelo jornal de Angola e a solicitação da UCAN ao direito de resposta, o Ministro do Ensino Superior referiu que nem ele, nem o INAARES procederam a divulgação de tal lista aos meios de comunicação. Segundo afirmou, a sua suspeita recai para algum dos responsáveis das Instituições de Ensino Superior, uma vez que,  a aludida lista havia sido enviada apenas a estes responsáveis. Segundo o Dr. Adão do Nascimento, a UCAN figurava da lista devido algumas rectificações que se imponham como o acrónimo que ao invés de UCAN estava UCA, no Decreto de criação; o curso de engenharia informática que inicialmente estava registado como “Engenharia e informática”; o curso de tradução e administração, que se denominava “Línguas, tradução e administração”; o curso de Economia e Gestão que não tinha Decreto de criação, pelo que já foram exarados os respectivos Decretos; assim como a integração, nos Estatutos da UCAN, do ISUP, doravante Instituto Superior de Ciências Sociais e do DOM BOSCO, doravante, Instituto Superior de Ciências Filosóficas e Pedagógicas.

A Vice-Reitora para Área Académica, quanto ao curso de Economia e Gestão, defendeu que não faz sentido que assim se passe a denominar, pelo facto de a formação, na prática, ser apenas em uma das áreas (Economia ou Gestão, e não e ambas), pelo que apenas a Faculdade pode assim ser denominada. O Ministério, em resposta, recomendou reforma curricular para validar a alteração, sendo que os processos devem dar entrada em Janeiro de cada ano.

No final, o Ministro do Ensino Superior apelou a serenidade e ao bom senso, prometendo pronunciar-se sobre a questão da legalização dos cursos, mas que a informação divulgada pelo Ministério era de carácter interno e não para divulgação externa.

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 286 visitantes e sem membros em linha