REITORES DO G4 APROVAM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR

Os Reitores do G4, Grupo das Quatro Universidades privadas angolanas (UGS, UPRA, UNIA E UCAN) que desde o ano passado celebraram um protocolo de cooperação, aprovaram no dia 22 de fevereiro de 2018, no Salão Nobre da UCAN, o plano do curso de agregação pedagógica, denominado Curso Especialização em Docência no Ensino Superior (CEDES). A realização do mesmo está inserida na estratégia de melhoria e capacitação dos quadros docentes nas universidades em causa, e terá a duração de 5 anos.

 

A proposta foi elaborada pelos Vice-Reitores das quatro universidades e integra além do plano curricular, o plano financeiro, modelo de certificado e o perfil do formador. Sobre a mesma, a Comissão Técnica recebeu várias sugestões que a seu nível serão analisadas e enquadradas no referido plano.

 

O G4 concordou que o curso deverá ter vários módulos e será obrigatório para os docentes que não tenham feito o ISCED. Para os que tiverem feito cursos de agregação pedagógica, será feita equivalência.

 

Para além da aprovação, os Reitores concordaram, ainda, que o primeiro módulo deverá decorrer entre Abril e Maio, deste ano. Entretanto o curso está sujeito a aprovação pelo Ministério do Ensino Superior, pelo que se for aprovado este ano, só poderá ser ministrado no próximo ano. Por este facto, sugeriu-se marcar um encontro com a actual titular da pasta ministerial, nos próximos dias, já que o grupo entende que é necessário realizar as primeiras edições ainda neste ano.

 

Curso Especialização em Docência no Ensino Superior terá mais de10 módulos, nomeadamente: 1.º módulo: o professor universitário hoje; 2.º didáctica do Ensino Superior; 3.º o processo de ensino-aprendizagem no Ensino Superior; 4.º questões éticas no ensino superior; 5.º métodos e meios de ensino; 6.º Ensino, Investigação e Extensão; 7.º Planificação do processo de ensino-aprendizagem; 8.º processo de avaliação das aprendizagens; 9.º tendências pedagógicas contemporâneas; 10.º comunicação educativa; 11.º quadro normativo do ensino superior; 12.º técnicas de elaboração de projectos de investigação e extensão.

 

A Universidade Gregório Semedo, Universidade Privada de Angola, Universidade Independente de Angola e a Universidade Católica de Angola assinaram no ano passado um protocolo de cooperação que possibilitará trocar experiências nas áreas da gestão académica, ensino, investigação e extensão universitária.

 

FACULDADE DE ECONOMIA E GESTÃO PROMOVE AULA MAGNA COM ECONOMISTA CHEFE DO BANCO MUNDIAL

A Direcção da Faculdade de Economia e Gestão (FEG) realizou, no dia 22 de Março de 2018, uma Aula Magna com o economista chefe do Banco Mundial para África, Albert Zeufack.

Durante a sua abordagem, que durou cerca de uma hora, o Dr. Albert Zeufack dedicou particular atenção ao crescimento económico em África e no mundo: tendências recentes; aos cinco desafios para a diversificação e crescimento sustentável de África; e a razão​ de o investimento (público e privado) ser tão importante em África, especialmente em Angola.

A aula decorreu no Salão Nobre e foi dirigida, em particular, aos estudantes​ de 4º ano e aos estudantes de mestrado científico de economia da FEG. No final da aula, foi reservado algum espaço para perguntas e respostas.

O evento foi realizado com o apoio da delegação do Banco Mundial em Luanda e do Prof. Caetano João, professor da FEG e Reitor da UPRA,​ e contou​ ​com a presença do Secretário-Geral da UCAN, Laurindo Miji Viagem, do ​Decano da Faculdade de Economia e Gestão, Dr. João Van-Dúnem e investigadores do CEIC, docentes da Faculdade de Economia e Gestão​ e​estudantes. 

CEIC ORGANIZA COM FMI APRESENTAÇÃO DO RELATÓRIO SOBRE PERSPECTIVAS ECONÓMICAS NO MUNDO E EM ÁFRICA

O Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola, em parceria com o Fundo Monetário Internacional em Angola, apresentou o relatório do Fundo Monetário Internacional com o título “Perspectivas Económicas Globais e Perspectivas Económicas Regionais da África Subsariana”.

O evento aconteceu no Salão Nobre da UCAN e contou com a presidência da Vice-Reitora para a Área Académica da UCAN, Dra. Maria Helena Miguel, em representação do Magnífico Reitor. Além de agradecer e desejar boas-vindas aos presentes, a Vice-Reitora sublinhou que a UCAN está satisfeita com a cooperação tida, há já algum tempo, com o Fundo Monetário Internacional representado no país, e acrescentou que a mesma vai continuar a envidar esforços para que a referida relação se aprofunde cada vez mais.

O relatório do FMI Outono 2017: Perspectivas Económicas Globais,  foi apresentado pelo representante do FMI em Angola, Max Alier e no segundo, o Relatório do FMI Outono 2017: Perspectivas Económicas Regionais, pelo Economista do FMI em Angola, Marcos Miguel. A seguir o Director do CIEC, Dr. Alves da Rocha fez breves comentários sobre as apresentações.

O discurso de encerramento foi proferido pelo Vice-Reitor para Investigação e Extensão Universitária Padre Doutor Jerónimo Cahinga que ao terminar reconheceu o impacto do resultado das pesquisas feitas pelo CEIC sobre a governação e a gestão da economia e agradeceu, mais uma vez, o referido setor pelos esforços empreendidos por continuar a levar em bom ritmo e rigor a área da pesquisa científica na UCAN.

UCAN ASSINA MEMORANDO DE ENTENDIMENTO COM A CHEVRON

A Universidade Católica de Angola assinou no dia 04 de Junho um protocolo de cooperação com a petrolífera Chevron, por intermédio da Cabinda Gulf Oil Company (CABGOC). O protocolo, que visa interesses mútuos, foi rubricado pelo Magnífico Reitor da UCAN, Reverendo Padre Doutor José Vicente Cacuchi e pelo Director-Geral da Cabinda Gulf Oil Company, Sr. John Baltz. A referida parceria visa beneficiar estudantes da UCAN, dando-lhes a oportunidade de interagir com profissionais da indústria petrolífera através de fóruns e estágios de pesquisa científica e tecnológica.

 Testemunharam o acto, representantes da Universidade, designadamente o Director do Gabinete do Reitor, Dr Nlandu Faustino, o Director do Departamento de Petróleos Engenheiro,  Tommaso De Pippo e Directores de diferentes  Departamentos  da Cabinda Gulf Oil Company. 

Depois da assinatura, o Magnífico Reitor considerou o acto insere-se na concretização de um dos pilares de acção de qualquer instituição de ensino superior que se preze. “Refiro-me à extensão universitária que consiste na transferência de conhecimento numa interacção universidade sociedade e vice-versa”, disse. 

Reconhecendo a qualidade e o sentido de responsabilidade da Chevron no cumprimento dos seus propósitos, o Magnífico Reitor assumiu que a UCAN pode, através das suas unidades orgânicas, ser parte da solução para algumas necessidades dessa empresa petrolífera. “Estou convencido de que a UCAN pode garantir à Chevron quadros qualificados e competentes, sujeitos inteligentes e humanos capazes de aliar “Savoir faire" e o “Savoir êtrê” (saber fazer" e o "saber ser"), tornando-se deste modo, num grande ganho para a Chevron, não só no plano da sua competência técnico-profissional, mas também e sobretudo no sentido de um  compromisso  responsável,  consubstanciado numa conduta que preserve o mínimo necessário de uma exigência axiológica e deontológica”, acrescentou o Padre Vicente Cacuchi, consciente de que o protocolo, ora assinado,  produzirá,  a seu tempo, efeitos positivos particularmente para os jovens recém-formados, e no geral  para à sociedade angolana. 

O Diretor-geral da Cabinda Gulf Oil Company, John Baltz, disse que instituição que dirige “tem feito parcerias com entidades angolanas para identificar necessidades e recursos locais no sentido de providenciar projectos e programas sustentáveis com longos e duradouros resultados que promovam o acesso à educação e a capacitação”. 

Segundo John Baltz é desejo da Chevron que os estudantes da UCAN sejam bem-sucedidos nas suas carreiras e que contribuam para o desenvolvimento da sociedade angolana. “É nosso desejo que os estudantes da UCAN sejam bem-sucedidos nas suas carreiras e que contribuam para o desenvolvimento do país. Esta iniciativa vai indubitavelmente aumentar o emprego e criar oportunidades para a juventude angolana. Nós estamos confiantes de que este programa vai privilegiar a dedicação e a inteira colaboração entre as duas instituições”, considerou.

 

Além do auxílio no enquadramento dos recém-formados, o Director do Departamento de Petróleos, Engenheiro Tommaso De Pippo, ressaltou que a referida parceria pode trazer um valor acrescentado à alguns projectos que a UCAN tem em carteira bem como, na realização de eventos científicos que visem a melhoria da qualidade da pesquisa científica no país. 

A Directora de Serviços de Apoio Geral da CHEVRON, Dra. Vanda Andrade, disse que o objectivo desta parceria é ajudar a trabalhar num currículo mais específico, sobre tudo nas áreas das engenharias, uma vez que faz parte dos objectivos da Chevron procurar melhorar as condições de vida das populações onde opera. “No fundo é o consolidar de uma relação já existente há vários anos e que nós valorizamos muito, porque o nosso objectivo é ajudar as populações onde nós operamos”. 

Já o Director de Recursos Humanos da Chevron em Angola, Henda Valério,  disse que a Chevron vai continuar a apostar em quadros especializados. “Continuaremos a apostar na formação de quadros especializados em Geociências em Angola. A formação académica é o pilar de um país e na Chevron acreditamos que é nossa obrigação contribuir para a capacitação destes futuros quadros e,  deste modo puder reforçar a actual força de trabalho da empresa com técnicos formados e capacitados em Angola”, concluiu.

 

 

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 893 visitantes e sem membros em linha