UCAN ASSINA PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO COM A FAZENDA GIRASSOL

A Universidade Católica de Angola assinou recentemente, um protocolo de cooperação com a fazenda Girassol que visa proporcionar estágios para estudantes do curso de nutrição, inicialmente. O referido protocolo foi assinado pelo Sócio-gerente da fazenda, Senhor João Amaral e pela Vice-Reitora para Área Académica da UCAN, Dra. Maria Helena Miguel, na presença do Vice-Decano da Faculdade de Ciências Humanas, Dr. Artur dos Santos e da Coordenadora dos Cursos de Saúde, Dra. Marli Santana. 

A parceria estabelecida entre estas duas instituições consiste na partilha de conhecimento e de promoção de estágios para os recém-licenciados, inicialmente, os de nutrição, e posterior, os de economia e gestão, e outras áreas.

João Amaral espera que a universidade faça a seleção dos melhores estudantes, dispostos a trabalhar e a contribuir para crescimento da empresa. “Nós estamos a trazer muito know how de fora. Queremos que este know how fique e só com os jovens licenciados é que vamos conseguir alcançar este objectivo para então melhor contribuir no sector agrícola”.

A Coordenadora dos cursos de saúde Dra. Marli Santana entende que esta parceria é de grande valia, sobretudo, numa altura em que o departamento que dirige está em busca de campos de estágios para os seus formandos. Segundo a responsável com este protocolo vai fazer uma aposta séria em projectos de investigação e extensão.

FACULDADE DE DIREITO JUNTA-SE AS CELEBRACÕES DO DIA MUNDIAL DO REFUGIADO

A Faculdade de Direito da Universidade Católica de Angola, juntou-se ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e acolheu, recentemente, uma conferência para saudar o dia mundial do refugiado. A actividade aconteceu no salão nobre da UCAN e contou com a presença de representantes do ACNUR, dos ministérios do Interior, Justiça, Relações Exteriores, docentes, estudantes da UCAN e, outros convidados.

As palavras de boas-vindas foram feitas pela Decana da Faculdade de Direito, Dra. Márcia Nigiolela, seguida da Representante do ACNUR em Angola, Dra. Phillipa Candler.

Na ocasião foram abordados três temas como; “O ACNUR face ao actual contexto dos refugiados em Angola”, pelo Dr. Wellignton Carneiro, oficial sénior de protecção da referida organização; “A Cláusula de cessação e integração dos refugiados em Angola: perspectivas e implementação”, pelo Dr. Feliciano Sumba; “Direito e garantias dos refugiados e requerentes de asilo, consagrados na CRA e na Lei 10/15”, pelo Dr. Daniel Sukuakueche, Advogado do JRS.

Depois das prelecções, foi aberto o momento de debate que durou cerca de uma hora e trinta minutos e de seguida o encerramento.

O dia mundial dos refugiados é comemorado por todos Estados membros da Nações Unidas a 20 de Junho desde 2000, como forma de lembrar a existência de milhões de pessoas ao redor do mundo que foram obrigadas a abandonar seus países. É considerada refugiada toda pessoa estrangeira que se sente perseguida em seu país por causa da sua raça, religião, nacionalidade ou opiniões políticas.

CEA PROMOVE UM ENCONTRO COM A HISTÓRIA COM O NACIONALISTA ERNESTO MULATO


O Centro de Estudos Africanos (CEA) da UCAN promoveu, recentemente, a primeira palestra do projecto “Encontro com a história”, um espaço que vai trazer mensalmente uma figura histórica à Universidade Católica de Angola, para debater com os estudantes, temas sobre a história do país.

O nacionalista, Ernesto Mulato, antigo Vice-presidente da UNITA, foi o convidado de estreia, que esclareceu a nova geração, alguns pontos sobre o processo de libertação de Angola.

O acto aconteceu no salão nobre da UCAN e contou com a presença massiva de estudantes, além dos membros de CEA-UCAN.

Para o nacionalista, que teve de responder muitas questões dos estudantes, a história de Angola deve ser contada num espírito de unidade e de irmandade, o que não acontece, muito por falta de vontade política de quem governa o país.

Na sua opinião, os estudantes estão muito interessados em compreender o passado para melhor perspectivar o futuro, razão pela qual deveria ser de interesse comum ter sempre um encontro com história.

 

DOM BOSCO ARREBATA PRIMEIRO LUGAR NA SEGUNDA EDIÇÃO DO DEBATE UNIVERSITÁRIO

A equipa do Instituto Superior Dom Bosco, estreante à segunda edição do Debate Universitário, arrebatou na grande final o primeiro lugar do concurso organizado pela FAUCAN, derrotando, assim, a Faculdade de Direito. A final decorreu na última sexta-feira, 23 de Junho, no salão nobre da UCAN e contou com a adjudicação dos professores, Artur dos Santos, Ana Rocha e João Ndala, e dos recém-licenciados, Daniel Chitóngua, e Anatólio Nicotemo.

A disputa teve como tema: Deveríamos privatizar as cadeias? A negativa esteve a cargo da equipa da Faculdade de Direito, composta por três (03) estudantes de Direito do 1º ano, e a afirmativa a cargo da equipa do Instituto Superior Dom Bosco, composta por igual numero de estudantes, do 4º ano de Filosofia.

Embora reconhecendo a necessidade de melhorias de condições nas cadeias do país, na argumentação, a equipa da negativa defendia a não privatização, que as mesmas continuassem sob tutela do Estado, temendo que o privado olhe para esta medida como uma oportunidade de negócio, visando mais o lucro, do que, propriamente a melhoria para o bem comum.

Ao contrário da equipa da afirmativa, os opositores defendiam a privatização das cadeias apontado as condições precárias a que os reclusos são submetidos, como um atentado à dignidade da pessoa humana e a sua privatização promoveria, não só, as boas condições para o recluso, mas uma reeducação de facto do ex-recluso.

 

Siga-nos

Estamos nas Redes Sociais. Siga-nos dando um click.

Quem está em linha?

Temos 128 visitantes e sem membros em linha